segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

"O presidente da COCARE assinando o termo de parceria com a Rede Leste".



segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Câmara dos Deputados regulamenta profissão de catadores de recicláveis 21 de Novembro de 2011 | Site da Câmara dos Deputados

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara de Deputados aprovou nesta quinta-feira (17/11) o Projeto de Lei 6822/10, do Senado, que regulamenta a profissão de catador de materiais recicláveis e de reciclador de papel.

A CCJ aprovou parecer do relator, deputado Marçal Filho (PMDB-MS) favorável à constitucionalidade e juridicidade do projeto. Como a proposta tramita em caráter conclusivo e já havia sido aprovada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Finanças e Tributação, o texto segue agora para sanção presidencial.

O projeto define o catador como o profissional autônomo ou associado de cooperativa que cata, seleciona e transporta material reciclável nas vias públicas e nos estabelecimentos públicos ou privados para venda ou uso próprio. Já o reciclador é aquele que recicla papel para venda ou uso próprio. Ele pode atuar de forma autônoma ou integrar-se a cooperativa e trabalhar em casa ou em outro local adequado à atividade.

De acordo com a proposta, para atuar como catador ou reciclador, o profissional deverá registrar-se na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de sua cidade. Esse registro será feito por meio da apresentação do documento de identidade, do título de eleitor com os comprovantes de votação e do certificado de reservista military, Marçal Filho lembra que compete à União legislar sobre eventuais condições a serem exigidas para o exercício da profissão.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

BÚZIOS SUSTENTÁVEL


Dia 12 de novembro, aconteceu no Hotel Atlántico

Seu Rogério, catador e Vice-presidente da Cocare,sonho cumprido.
André Catador e Secretário da Cocare

Catadores reunidos para receber aplausos e reconhecimento da importância do seu trabalho  para a cidade e para qualidade de vida de todos nos moradores e turistas.
Porta retratos, agendas e outros produtos feitos da reciclagem das embalagens Tetra Pak
       

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Reunião do Grupo Rede Leste em Itaborai, COCARE e as Cooperativas de Catadores da região dos lagos estiveram presente.

Na Foto: Pedro Belga do Guardiões do Mar, Rubens Maciel, rep. do Senador Crovela, Victor Junior, vereador de Niteroi, Jefferson, fundação Banco Brasil, Marcello da Petrobrás



segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Verdadeiros agentes ambientais, COCARE Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis em Búzios

Junte a suas caixinhas de leite, molho de tomate, sucos, etc e encaminhe para o PEV (Ponto de entrega Voluntária) mais próximo da sua casa, seja solidário, a sua participação é muito importante para nós.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

CAÇAMBA DE FERRO ENVIADA PARA RECICLAGEM

TRABALHO FORÇADO , VOCÊ PODE MUDAR ESTA SITUAÇÃO, JUNTE A SUAS CAIXINHAS DE LEITE, SUCO, MOLHO DE TOMATE, ETC E COLOQUE NO PEV MAIS PRÓXIMO, JUNTANDO 5 TONELADAS PODEMOS GANHAR UMA EMPILHADEIRA,  MELHORANDO ASSIM O TRABALHO DESTES VERDADEIROS AGENTES AMBIENTAIS, SEJA SOLIDÁRIO, COLABORE. BÚZIOS RECICLE

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Campanha junte caixinhas de Tetra Pak para os catadores ganharem uma prensa para melhorar o serviço deles, para deixar a nossa cidade limpa, colabore.

PESO DO MATERIAL COLETADO E EMPILHADO NO BRAÇO PELOS CATADORES. COLABORE DOANDO SUAS CAIXINHAS DE LEITE, SUCOS, MOLHOS DE TOMATE, CREME DE LEITE. ETC., COLOQUE NO PEV MAIS PRÓXIMO, LEMBRE-SE O LIXO É RESPONSABILIDADES DE TODOS.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Logística Reversa: ponto forte da PNRS

A elaboração do Plano Nacional de Resíduos Sólidos , que regulamentará a PNRS mostra a todos a importância em se ter um gerenciamento correto do resíduo produzido, principalmente pelas empresas.
O programa de Gestão de Resíduos em Empresas e Eventos foi criado justamente para orientar e implementar programas de gestão de resíduos e a implantação da logística reversa.

A logística reversa é o instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado pelo conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada.
A regulamentação da PNRS definiu como se dará a responsabilidade compartilhada no tratamento de seis tipos de resíduos e determinou a criação de um comitê orientador para tratar destes casos específicos. São eles: pneus; pilhas e baterias; embalagens de agrotóxicos e óleos lubrificantes além das lâmpadas fluorescentes e dos eletroeletrônicos. Os instrumentos para operar os sistemas de logística reversa são: acordos setoriais; regulamentos expedidos pelo Poder Público; ou termos de compromisso.

Com essa nova lei, o cidadão passa a ser obrigado a fazer a devolução dos resíduos sólidos no local, a ser previamente definido pelo acordo setorial e referendado em regulamento, podendo ser aonde ele comprou ou no posto de distribuição.
O CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), já estabelece, por meio de Resolução, os procedimentos para o descarte ambientalmente correto de quatro grupos de resíduos: pneus(Resolução 362/2005); pilhas e baterias (Resolução 257/1999); óleos lubrificantes (Resolução 258/1999); e embalagens de agrotóxicos (Resolução 334/2003 e Lei nº 9.974/2000.

A grande novidade dessa regulamentação é a obrigatoriedade da logística reversa para embalagens.
O Secretário de Recursos Hídricos de Ambiente Urbano (SRHU) do MMA explica que é possível aplicar o procedimento para todo o tipo de embalagem que entulham os lixões atualmente, inclusive embalagens de bebidas. Ele relata, inclusive, que o Ministério do Meio Ambiente já foi formalmente procurado pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom) para informar que estão aptos a fazer a coleta de óleos lubrificantes. O MMA foi também procurado pela Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vdro (Abividro) que demonstrou interesse em implantar a logística reversa em embalagens de vidro.
Segundo ele, existem duas formas de se fazer a logística reversa para embalagens:
1- de iniciativa
2- do setor empresarial, que pode instituir o procedimento para uma determinada cadeia.;
3- iniciativa do Poder Público. Neste caso, o primeiro passo é a publicação de edital, onde o comitê orientador dá início ao processo de acordo setorial. No edital estarão fixados o prazo, as metas e a metodologia para elaboração de estudos de impacto econômico e social.( MMA)

SUSTENTABILIDADE

 
A HISTÓRIA DAS COISAS

terça-feira, 23 de agosto de 2011

sexta-feira, 22 de julho de 2011 Catadores de Materiais Recicláveis, Secretaria de Meio Ambiente, INEA, TETRA PAK, Vereador Felipe Lopez, Procurador Fabio, ACARE, Cineclube "DESPERTA BÚZIOS"e sociedade civil,preocupados com a reciclagem, com a qualidade de vida de moradores e turistas.



Para ser um participante ativo desta empreitada, é preciso saber como separar corretamente o lixo seco do lixo úmido. Isso facilita o trabalho dos catadores de lixo reciclável, que conseguem recolher maior quantidade de material reaproveitado e aumentar a renda com a venda dos resíduos.


O lixo seco, por sua vez, é todo o resíduo feito de papel (como caixas longa vida), vidro (potes de maionese), metal (latas de alumínio) e plástico (garrafas PET). Se limpos e separados corretamente, podem gerar emprego, renda e poupar recursos naturais. Com garrafas PET, por exemplo, é possível produzir madeira sintética ou um novo plástico.
lixo úmido (ou orgânico) é composto por restos de alimentos, cascas e ossos, pó de café e de chá, galhos e podas. Separados e reciclados, pode servir de adubo na produção agrícola ou como insumo para gerar energia.
DESAFIO:
Preparar a sociedade para uma mudança de comportamento em relação à Coleta Seletiva do Lixo, ressaltando os benefícios ambientais, sociais e econômicos do reaproveitamento dos resíduos sólidos para o país.
SOLUÇÃO:
A campanha publicitária priorizou uma abordagem mobilizadora, de utilidade pública e de educação ambiental, no sentido de esclarecer à população sobre a importância do reaproveitamento dos resíduos sólidos e ensinar a correta separação do lixo úmido e seco.


Fonte: Ministério do Meio Ambiente

sábado, 13 de agosto de 2011

Ministério do Meio Ambiente lança a campanha de separação do lixo


A partir deste domingo (19 de Junho de 2011), o Ministério do Meio Ambiente dará início a campanha “Separe o Lixo e Acerte na Lata”. Acampanha será  veiculada durante um mês nas rádio, TVs , revistas segmentadas e grandes portais.

O objetivo da campanha é de incentivar a população a desenvolver o hábito de separar o lixo seco do lixo úmido dentro de casa, uma maneira  de facilitar a vida do catador e aumentar a reciclagem dos resíduos no Brasil.
Segundo o Ministério do Meio  Ambiente, a campanha é uma forma de fazer valer a Política Nacional de Resíduos Sólidos, para que  o problema do lixo no Brasil seja solucionado.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Surf Verde

Saiu no Primeira hora:
O pessoal do ACARE Búzios participou das ações de retirada de latas e detritos da restinga e areias de Geribá. Ação constante do grupo .
Apesar da falta de ondas que obrigou o cancelamento das etapas finais do Brasil Surf Pro, várias atividades foram desenvolvidas em torno do tema ‘preservação pelas florestas’ ao longo da semana. A Associação de Catadores de Búzios (Acare) se fez presente mais uma vez, ajudando a manter a praia limpa, recolhendo latinhas e demais materiais recicláveis, e gerando renda. Na opinião do consultor ambiental do Brasil Surf Pro, Glenn Suba, ‘esses ecossistemas oferecem uma oportunidade única de fomentar a consciência do público participante sobre a importância que as florestas possuem em nossas vidas, assim como as áreas verdes em nossas cidades e as consequências da real possibilidade de seu desaparecimento’.
A carboneutralização foi outra novidade da etapa. Todas as emissões de CO2 provenientes da realização do campeonato foram calculadas e gerarão o plantio de um número correspondente de árvores no corredor ecológico Tinguá-Bocaina, no Rio de Janeiro.


Colaborador: Redação

OS CATADORES PRECISAM COLETAR 5 (cinco) TONELADAS DE EMBALAGENS TETRA PAK PARA PODER GANHAR DA EMPRESSA TETRA PAK, PRENSA E UNIFORME PARA MELHORAR O TRABALHO DOS CATADORES PRECISAMOS DA COLABORAÇÃO DE TODOS VOCÊS. VISITE O NOSSO: BLOG WWW.RECICLABUZIOS.BLOGSPOT.COM ENCONTRARAM A LOCALIZAÇÃO DOS PEV (PONTOS DE ENTREGA VOLUNTARIA) AONDE PODERAM COLOCAR AS CAIXINHAS DE LEITE, SUCO, ETC SEJA SOLIDARIO, E DE GRAÇA.

SER SOLIDÁRIO

É compartilhar, e ajudar a todos em qualquer ocasião. Estender as mãos ao seu próximo, e ampará-lo em qualquer situação, por mais complicado que possa parecer, você tenta solucionar com muito amor no coração, sem querer receber nada em troca.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Reciclagem

Um dever básico do cidadão é não jogar lixo nas ruas. No entanto, pessoas de variadas classes sociais jogam lixo em qualquer lugar, como: parques, praias, córregos, rios, lagos e outros locais públicos,afetando a qualidade da água e o meio ambiente.Jogar lixo nas ruas pode entupir bueiros e causar enchentes, além de demonstrar falta de educação. Jogar lixo no chão é ruim para a imagem de qualquer pessoa. É uma vergonha! O acúmulo de lixo estimula a proliferação de baratas, de ratos e de doenças. Cidadãos conscientes fazem a sua parte para que a cidade fique limpa e bonita.Antigamente o lixo era composto principalmente por materiais orgânicos, como restos de alimentos, que são degradáveis pela ação da natureza. O lixo do homem moderno é composto por montanhas de embalagens e outros detritos, que demoram para se decompor e prejudicam a natureza.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Plástico forma maior parte do lixo marinho

Plástico forma maior parte do lixo marinho



Quando as tartarugas ingerem o lixo, o trato gastro-intestinal não tem capacidade de digerir e o que não é alimento fica paralisado, as tartarugas têm a sensação de saciedade e param de se alimentar, explica um dos pesquisadores do Tamar, Gustave Lopez.
Apesar de um estudo realizado pelo Programa Ambiental da ONU (Unep, sigla em inglês) – lançado em 8 de junho deste ano, Dia Mundial dos Oceanos – mostrar que produtos plásticos são responsáveis pela maior parte do lixo marinho, Lopez informa que todo e qualquer lixo é prejudicial às tartarugas. “Elas podem ficar presas em restos de rede, em linhas ou em outros objetos que dificultam a natação e outras funções vitais, como a tomada de ar na superfície, levando a animal a óbito”, informa.
O lixo é uma das principais ameaças ao ecossistema marinho. Há anos as equipes do Projeto Tamar lutam para conscientizar turistas e pescadores de que garrafas, sacos, embalagens de comida, copos e talheres são os objetos que formam a maior parte do lixo encontrado no oceano.
Lopez diz que “pesquisas científicas mundiais comprovam que o lixo pode causar uma série de distúrbios no trato gastro-intestinal das tartarugas, o que resulta no acúmulo de gases, no aumento do bolo alimentar ou ainda na baixa imunidade da tartaruga, o que facilita a ação de predadores ou a morte por desnutrição”, afirma.
O estudo da ONU indica que o verão é o período do ano em que se acumula a maior parte do lixo marinho produzido pelos turistas. Atualmente, o lixo produzido pelos turistas somado ao produzido pela indústria pesqueira e outras atividades econômicas que usam o oceano como ambiente de trabalho representa 675 toneladas de resíduos sólidos despejados, por hora, no mar. Desse total, 70% são de objetos de plásticos.
De acordo com a responsável pela Coordenação Nacional de Veterinária do Tamar no Espírito Santo, Cecília Baptisttote, no mundo inteiro, a cada um minuto, são descartados um milhão de sacos plásticos. Esse valor corresponde a 1,5 bilhão de sacos plásticos descartados por dia e mais de 500 bilhões por ano.
O Projeto Tamar vem trabalhando na sensibilização dos turistas e das pessoas com relação ao ambiente marinho. Com banners informativos instalados nos centros de visitantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade com dados sobre os problemas causados pelo lixo marinho, o Tamar trabalha na conscientização de turistas.
Segundo Lopez, “o grupo de crianças da comunidade que participa do programa de inclusão social do Projeto Tamar atua em atividades semanais com a temática do lixo. Além disso, os centros de visitantes contam com lixeiras para separação do lixo reciclável e são realizadas, também, palestras nas escolas do entorno da Praia do Forte”.

domingo, 24 de abril de 2011

PRINCIPIO DOS 3 “R” - REDUZIR – REUTILIZAR - RECICLAR

A praticidade, que prefiro chamar de comodidade leva, às vezes, às criações tecnológicas que resultam cada vez mais no aparecimento de novos tipos de descartáveis.
Lembram-se dos cascos de vidro de refrigerantes que carregávamos para nos abastecer?
 Não faz dez anos que foram abolidos de vez, cedendo lugar aos recipientes descartáveis de PET. O próprio vidro, quem diria, passou a aparecer nas embalagens de cerveja como descartável, talvez para competir.
Basicamente, existem duas grandes classes de descartáveis; a primeira que são aqueles produtos que se usam e que se jogam fora de imediato ou em curto prazo (caso das pilhas, por exemplo); a outra classe se constitui daqueles produtos que se usam por um tempo maior e se jogam fora, como exemplo, as lâmpadas, preparadas para durar pouco.
De qualquer forma, os descartáveis fazem um grande mal à Natureza porque, em geral, não se degradam e ainda ocupam lugar nos aterros sanitários, diminuindo as suas vidas e exigindo a busca de outros sítios para novos aterros.
Alguns autores citam a teoria dos 3 R’s quando tratam do assunto resíduo. Vamos, resumidamente, conhecer de que se trata.

O primeiro R significa Reduzir a geração de resíduos.

O segundo R significa Reutilizar o resíduo.

O terceiro R significa Reciclar o resíduo.

A Natureza agradeceria aos homens, se a ordem de prioridade fosse a citada acima, começando com Reduzir.
Falemos do primeiro R (reduzir) que é a forma mais interessante para a preservação ambiental ou a preservação dos recursos naturais. No nosso dia-a-dia significa, grosso modo, “não deixar nada no prato que comemos”, ou preparar uma refeição no exato limite das nossas necessidades e ainda aproveitando as cascas.
Se transportarmos esse raciocínio para uma produção industrial, a coisa começa a pegar, visto que a tecnologia da produção passa a ficar um tanto mais complexa. Todavia, há exemplos já postos em prática, como exemplo, a recirculação total das águas de um processo industrial, que reduz o consumo de água.
Falemos do segundo R, que significa reutilizar. Tal forma de tratar os resíduos demanda de muito poder de imaginação, de pouca tecnologia ou de mudança da forma de destinação do resíduo, como exemplo, neste caso, a volta ao uso dos cascos retornáveis. E, no caso da mudança de forma de uso, a reutilização para outra finalidade do resíduo, que pode ser uma embalagem, como exemplo, aquela do filme fotográfico, que poderá servir para guardar comprimidos a granel ou pequenas amostras, ao invés de se jogá-la fora.
Finalmente, o terceiro R que significa reciclar, ou seja, aproveitar a matéria prima embutida no resíduo para fabricar o mesmo ou outro tipo de produto, como exemplos, os pneus, para produzir tapetes de borracha, a matéria orgânica derivada de restos de alimentos, para produzir fertilizantes ou as latinhas de alumínio, para fabricar outras latinhas.
Cabe comentar, no terceiro R, que o esforço da reciclagem exige sempre um consumo extra de energia e o fato de que, pelo material ser reciclável, haver uma indução cada vez mais crescente de incentivar mais e mais sua produção, na certeza falsa de que se está protegendo a natureza, exatamente com a desculpa da reciclabilidade.
A rigor, todo passo que se pretenda dar e que envolva resíduos, principalmente na introdução em nossas vidas de novos descartáveis, deve ser precedido de muita discussão, visto que as conseqüências poderão ser difíceis de controlar.

sábado, 23 de abril de 2011

As sacolas de plástico devem ser substituídas? Elas levam 300 anos para se decompor, mas há divergências sobre como lidar com isso


Na simpática capital mineira, desde segunda feira, entrou em vigor uma lei que proíbe o uso de sacolinhas de plástico nos supermercados. Mas essa lei pegou?

Não é estranho ter que confirmar se uma lei pegou? Coisas do nosso país, mas voltando ao assunto principal: As lojas de BH que não utilizarem uma sacola biodegradavel ou uma alternativa retornavel, vão levar uma multa de até R$ 2.000 e podem até ter o alvará de funcionamento cassado.
Como essa é a primeira semana da nova lei, o secretário municipal de Serviços  Urbanos, Pier Giorgio Senesi, explica como a fiscalização vai funcionar “Nesta primeira semana, a fiscalização vai funcionar como orientação. Caso o local continue com a infração, vai ser punido como previsto em lei. Em caso de reincidência pode pagar multa ou ter o alvará de funcionamento cassado”.
Segundo a reportagem do R7, 80% dos 27 mil lojistas da capital não fizeram a substituição das sacolas, muitas dizem que estão acabando com o estoque antigo.
Já no caso dos supermercados, a estimativa é que 95% dos 1.100 da cidade tenham feito a troca de sacolas.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Consciência Sócio Ambiental A produção de resíduos é inerente à condição humana e inexorável.




MAS A LATA DE LIXO NÃO É UM DESINTEGRADOR MÁGICO DE MATÉRIA !

O lixo continua existindo depois que o jogamos na lixeira.

Não há como não produzir lixo, mas podemos diminuir essa produção.
Como? Reduzindo o desperdício, reutilizando sempre que possível e separando os materiais recicláveis para a coleta seletiva.
Tem coisas que a gente só não faz por não saber como.
Navegando no Lixo.com.br você vai ter uma idéia de como a coisa funciona. É importante conhecer o processo e as regras quando queremos fazer a diferença.

A idéia é construirmos um mundo melhor, certo? Cremos que um futuro melhor seja o resultado de um presente mais responsável.
Individualmente responsável.

Boa sorte!